A preocupação com a segurança nos condomínios tem crescido nas capitais brasileiras. Em Salvador, no mês passado, houve uma invasão em um condomínio de luxo no Horto Florestal, e um apartamento foi assaltado. Na tentativa de evitar assaltos e arrastões, administradores investem em tecnologias de ponta para controlar o acesso ao condomínio e registrar a presença de visitantes.

Uma das alternativas mais modernas para a segurança do condomínio é a portaria virtual. O sistema busca substituir a portaria tradicional, com um porteiro presente na guarita do prédio, por uma equipe de funcionários em uma central remota, que atende a vários condomínios, recebendo os visitantes e moradores através de câmeras de alta definição.

Em alguns prédios a portaria física fica próxima ao portão, e assaltantes podem apontar uma arma e coagir o porteiro. Com a portaria virtual é impossível render a portaria, e os funcionários da central têm mais facilidade para acionar a polícia.

O sistema de portaria virtual ainda é pouco conhecido, mas seu uso já é tendência em condomínios de luxo. Para que o sistema funcione, é necessário que o condomínio tenha uma internet própria. Será necessária a instalação de sistemas de abertura e fechamento remotos para os portões, câmeras que transmitem imagem e som via internet, dentre outras adaptações.

Uma possibilidade para o sistema de câmeras, que também já tem sido usada em portarias físicas comuns, é o uso da tecnologia de reconhecimento facial, permitindo a entrada de moradores sem precisar da autorização da portaria.

Custo da proteção

Um sistema de segurança já bastante utilizado, sobretudo em condomínios de luxo, é a biometria. Além de permitir o acesso mais rápido dos moradores, ele registra os visitantes do condomínio. O uso da tecnologia tem se tornado cada vez mais acessível, e para começar a usar basta ter um leitor biométrico, um computador com acesso à internet e um software específico para salvar os dados.

O síndico Jorge Igor Rangel utiliza o aplicativo Sivirino, que, dentre outras soluções para condomínios, oferece o software para registro de moradores e visitantes por biometria. “Todo visitante que chega pela primeira vez se identifica com documento com foto e o porteiro coleta a biometria. Antes os porteiros faziam o registro das visitas em uma planilha impressa, agora é tudo digital”, conta.

Thiago Souza, um dos criadores da plataforma Sivirino, completa: “Através do aplicativo, o morador pode informar a portaria previamente sobre a chegada de uma visita e recebe uma notificação informando que o visitante chegou, em que hora e qual porteiro liberou o acesso”.

O uso da biometria no condomínio de Jorge não eliminou o trabalho dos porteiros, que continuam sendo os responsáveis pela liberação de acesso na portaria. “Tivemos que adaptar a rotina da portaria. Antes a fiscalização era por alto, não se tinha certeza dos dados. Agora os próprios moradores participam, e o condomínio fica mais seguro”, diz Jorge.

 Fonte:http://atarde.uol.com.br